meu-pet-chegou-em-casa

Meu pet chegou em casa, e agora?

Cuidados Comments (0)

Seu animal de estimação chegou em casa? Com certeza a felicidade é da família toda e esse primeiro momento é só festa! Os pets trazem mais alegria, principalmente se há crianças no lar e, com o tempo, esse bichinho será tão querido quanto qualquer outro membro da casa. mas, assim como acontece com as pessoas, é imprescindível atenção e manter alguns cuidados com a saúde e higiene dos pets. 

Preparamos um post bem informativo para que você não se perca nesse momento e não deixe passar nenhum cuidado necessário. Confira:

Limitando espaços para seu animal de estimação

Ele é novo no espaço. Imagine você chegando em uma nova casa, não sabendo exatamente onde fica cada um dos vãos. O mesmo acontece com o seu animal, sendo que a nossa racionalidade nos permite aprender as direções com mais rapidez e praticidade. A melhor forma de ensiná-lo sobre os locais permitidos e não permitidos, é delimitando limites nesses espaços.

Use um jornal ou outro item molhado com o xixi do animal para que ele identifique o local  onde deve fazer as necessidades básicas, por exemplo.  Após o pet acordar e, após as refeições, leve seu animal para o “cantinho do xixi” e aguarde até que ele urine dando um estímulo positivo após a tarefa.

O mesmo deve ser feito com o local de dormir, beber água e comer. De preferência, deixe todos reunidos em um mesmo ambiente. Cuidado apenas com os limites de distância entre o lugar onde o pet fará as  necessidades e onde ele dormirá e comerá. Isso não pode se misturar por questões de higiene e saúde do seu bichinho.

Introduzindo o pet na família

Algumas ações devem ser tomadas para introduzir o seu pet na família, principalmente se ele foi adotado e já é um animal crescido. Lembre-se que ele vem de outro ambiente, com outros hábitos e, principalmente, outras pessoas. Seu gato ou cachorro precisa se sentir à vontade, para desenvolver laços e, principalmente, para não ter um comportamento mais agressivo.

Tire pelo menos uma hora por dia para dar atenção e trabalhar os cuidados com os pets. Brinque com o animal de estimação, de

preferência dê brinquedos ou outros objetos que o animal os reconheça como seus e perceba que aquele é o seu novo lar.

Escolhendo a ração corretamente

O momento da escolha da ração nem sempre é tido como importante para alguns donos de pets. Saiba que a raça, o porte, a idade e

outros fatores determinam influenciam diretamente no benefício do alimento para o animal. Se você compra a ração errada, seu bichinho não receberá as vitaminas e nutrientes necessários. Há formas de escolher a ração corretamente:

Conheça as necessidades especiais do seu pet

Uma consulta rápida em um veterinário já lhe dirá todas as necessidades vitamínicas do seu pet. No caso de dietas especiais – quando há excesso ou falta de peso, alergias, etc. – você já saberá que precisa buscar rações com tais características. É comum, para quando isso acontece, o veterinário indicar uma ração para o pet.

Faixa etária é também determinante para a escolha da ração

Cada uma das fases da vida do seu pet exigirão um tipo diferente de ração. Essa característica é facilmente identificada no pacote da

ração e basta você escolher o tipo certo.

Porte correto

Não adianta você comprar uma ração para um pet de porte diferente do seu. Ele vai saciar a fome, claro, mas será uma alimentação com valor nutricional abaixo ou além do que ele precisa. Isso prejudica e muito a saúde do seu animal de estimação. Dá para saber o tipo de porte daquele alimento no pacote da ração. Em caso de dúvida, basta procurar um veterinário de sua confiança.

Raça também é um diferencial

Esse é o ponto menos considerado na hora de comprar a ração para o pet, mas é de extrema importância. Algumas raças possuem necessidades diferenciadas e rações direcionadas fazem total diferença. É o caso dos labradores, por exemplo, que facilmente desenvolvem problemas nos ossos e quando você compra uma ração específica para essa raça, insere todos os nutrientes na alimentação do animal, evitando esses males futuros.

Não podemos esquecer as vacinas

Vacinar o seu pet é primordial. Algumas são, inclusive, obrigatórias nessa primeira fase da vida do animal. Veja quais:

Vacina para cães

Para quem tem cães em casa, as vacinas anti-rábica e múltipla são essenciais já nos primeiros meses. Nessa primeira fase de vida há

também aquelas opcionais, mas importantes como é o caso da parainfluenza e a giárdia. Elas devem ser tomadas na periodicidade:

  • Primeira dose de múltipla e parainfluenza: com 45 dias de vida;
  • Segunda dose de múltipla: 75 dias de vida;
  • Terceira dose de múltipla e anti-rábica: com 120 dias de vida.

A cada ano, para manter a saúde do seu cão em dia, uma dose de cada vacina deve ser dada.

Vacina para gatos

Para os gatinhos a anti-rábica e a múltipla são essenciais também. As dosagens devem ser dadas da seguinte forma:

  • Primeira dose de múltipla: 60 dias de vida;
  • Segunda dose de múltipla: 80 dias de vida;
  • Terceira dose de múltipla e anti-rábica: 120 dias de vida.

Uma dose de cada vacina também precisa ser dada a cada ano.

Posse responsável

Na medida em que a humanidade evolui, também deve evoluir a forma como nos relacionamos com as outras espécies. Hoje temos dados que comprovam que os animais têm sentimentos, dor, medo, carência, sofrem danos psicológicos e, como muitas pesquisas demonstram, a presença de um pet nos ajuda a ser mais felizes, estimula o sistema imunológico, reduz o risco de doenças cardiovasculares e neurológicas, aceleram a recuperação de enfermos e geram uma vida melhor e até mais longa.

Dessa forma, o termo posse responsável vem no intuito de conscientizar os proprietários de animais, da responsabilidade pessoal sobre os cuidados do pet, adequação do ambiente onde ele viverá, sua alimentação, cuidados de higiene e saúde, bem como sua segurança, sempre respeitados sob a ótica das necessidades de cada espécie e suas características particulares.

A posse responsável também se refere ao respeito aos outros cidadãos, portanto recolha as fezes de seu animal, mantenha em dia a vermifugação e vacinação, trabalhando em favor da saúde pública. Compreenda o fato de que nem todos gostam da aproximação de animais sendo que alguns, inclusive, têm medo. Mantenha sempre os cães na coleira e conduza sempre os felinos em caixas de transporte de preferência cobertas para reduzir o stress do animal.

Agora que você já sabe como preparar a casa e organizar um calendário de vacinas para seu pet, que tal compartilhar com a gente a sua opinião sobre a experiência de ter um novo membro da família? Deixe seu comentário!

Pin It

» Cuidados » Meu pet chegou em casa,...
Em 25 de abril de 2016
By
, ,

« »