Raiva-em-gatos

Raiva em Gatos – é possível?

Cuidados Comments (0)

Só de ouvir a palavra ‘raiva’ os donos de cachorros já se sentem apavorados. No entanto, engana-se quem pensa que esta doença seja exclusiva dos cães. Mesmo que muitos não saibam, a raiva em gatos existe e merece toda a atenção possível.

A doença normalmente associada aos cães pode ser contraída por diferentes animais como bovinos, cavalos, porcos e também nos gatos. Por isso, é muito importante entender como evitar este problema para o seu bichano, saber perceber como prevenir, reconhecer os sintomas e o que fazer em caso de urgência.

O que é a raiva em gatos?

Assim como nos cães, a raiva em gatos também é causada a partir do contato com outro mamífero infectado. Isso pode acontecer a partir de arranhões, lambidas em mucosas ou pela saliva.

A raiva é causada por um vírus da família Rhabdoviridae do Gênero Lyssavirus e é considerada infecto-contagiosa. Após atingir o sistema nervoso, o vírus se multiplica e espalha pelo corpo, atingindo diferentes órgãos e as glândulas salivares dos gatos, onde se multiplicam.

Se nenhuma atitude for tomada, o animal pode morrer em poucos dias.

Quais os sintomas?

Quanto mais rápido o dono de um gato perceber os sintomas, maiores são as chances de cura do seu felino. A raiva em gatos faz com que o animal tenha alterações sutis no comportamento, tornando-se mais agressivo. A fotofobia, a hidrofobia e anorexia também podem ser observadas.

O período de incubação do vírus causa as primeiras mudanças no comportamento do gato e elas podem se manifestar com uma semana ou até mesmo alguns meses após o contato com o vírus. Isso depende do local do corpo onde ocorreu a transmissão.

Contudo, logo que o vírus se multiplica e se espalha pelo corpo, as mudanças são nítidas. Febre, vômitos, salivação e cansaço extremo são os primeiros sinais desta fase. Num último estágio é possível observar uma agitação extrema, que pode levar a crises convulsivas e até mesmo paralisia.

Como prevenir a raiva em gatos?

A raiva em gatos é uma doença sem cura. Por essa razão, a prevenção é único remédio. Para garantir o bem-estar do seu bichano, é fundamental tomar alguma medidas. A mais importante e que deve ser feita anualmente é a vacinação antirrábica.

Esse é o melhor e mais eficaz tratamento preventivo e a primeira dose já deve ser tomada aos 3 meses de idade. Nos 21 dias seguintes à vacinação o seu gato não deve ter contato com nenhum outro animal, pois este é o período necessário para garantir a imunização.

Ter um animal significa ser responsável pela vida de uma criatura. Esteja sempre em contato com o seu veterinário!

E para ficar por dentro de todos os cuidados para o bem-estar do seu pet, confira mais dicas como esta no blog da Foxvet!

Pin It

» Cuidados » Raiva em Gatos – é...
Em 29 de dezembro de 2017
By

«